APROVE Instituto Pró Valorização Empresarial

O Instituto Aprove foi fundado em 1999 com o objetivo de criar uma ferramenta de discussão e elaboração de propostas para resgatar a classe empresarial brasileira, castigada pelas inúmeras mudanças nas políticas econômica, fiscal e tributária praticadas por nossos governantes ao longo dos últimos 30 anos.

O empresariado brasileiro está sufocado em dívidas, enfrenta grave falta de liquidez, e se ressente da concentração do crédito público e da vulnerabilidade econômica, o que impede o planejamento estratégico. A grande maioria das dívidas tributárias foram geradas em momentos de crises financeiras sem precedentes (abertura desordenada do mercado acumulada com inúmeros planos econômicos que tinham por base recessão e altíssimas taxas de juros) .

No atual momento, a reforma tributária, pleiteada pela Aprove desde a sua fundação, continua sendo essencial para o empresariado brasileiro. Com a atual carga tributária e sua maneira burocrática de cobrança, as empresas brasileiras não têm condições de concorrer com o resto do mundo, e acabam estranguladas com um passivo tributário, trabalhista e financeiro altíssimo, consequentemente ficam operacionalmente travadas por falta de certidões de regularidade fiscal, impedindo qualquer possibilidade de novos créditos, o que os levará à falência.

Nos últimos 10 anos, a APROVE atuou em diversos projetos junto a diferentes empresas, com auditorias, reestruturação, reengenharia, captação de recursos, contencioso de crises e planejamento estratégico, acumulando as experiências vividas junto a essas empresas identificou alguns pontos cruciais que precisam ser mudados para que a atividade empresarial no Brasil possa prosperar.

A situação é crítica, não adianta sermos o país da Copa, das Olimpíadas, da Rio+20, de investimentos internacionais e nacionais bilionários, se não temos estrutura capazes de permitir o crescimento, a manutenção e o desenvolvimento das empresas nacionais, que encontram-se diante de juros exorbitantes, crédito escasso, burocracia sufocante, carga tributária esmagadora e uma deficiência e corrupção generalizada na infra-estrutura econômica, política e social.

Para reverter esse quadro é preciso que a classe empresarial e toda sociedade se organize e consiga mostrar para nossos governantes as reais necessidades para a reconstrução do sistema produtivo e o crescimento do País.